segunda-feira, 25 de outubro de 2010

.: Chegou a hora:.

Fomos ao Dr. Rotta (neurologista) em Porto Alegre..
 Por todo este tempo este profissional que se tornou amigo da gente nos coloca uma situação: César precisa fazer a gastrostomia e a colocação de um marcapasso no diafragma.Desnutrido, ele depende do MARCA PASSO  para respirar melhor e da Sonda para alimentar-se. 
 Ele recusa.Junto, sofro calada.É tão grande a vida e sua dignidade. Somos tão pequenos.. Estamos juntos sim, mesmo que um tanto sem "ar".....



Como num mergulho profundo, quando voltamos à tona é sempre como um novo respirar. Deixemos as velhas formas de sofrimento de lado. Do luto velado, das coisas que a maioria não entende.
 Reinventemos do nosso jeito, tão diferente e até mesmo, suspeito para atravessar os dias não lembrando que a tragédia nos abate. Lutemos o bom embate com as forças do nosso coração. Este sentimento imensurável, que o cotidiano e as obrigações esmaga. Vamos dar uma respirada, um tempo novo de tentar entender aquilo que não tem entendimento. Não vamos fazer da vida só um lamento, vamos exorcizar o que nos assola, vamos á luta, sem ferir nem ser feridos... Que a dor que sentimos nas costas como uma punhalada comungue em uma nova  descoberta, quem sabe não estamos criando asas...
È tão especial este sentimento de ver a morte á espreita com uma alma tão grande nos ensinando no dia a dia..Como lidar com tudo, se nos provamos do essencial que é  esta tão falada liberdade... nem tem ponto de interrogação que nos faça aprofundar as coisas que implicam o incerto em nossos dias.. Vamos aterrisar de novo. O Vôo se faz desconexo.. não tem tempo certo, aliás, tudo é incerto quando nos desafia o ser que proclamamos  Deus.
 Não duvidar de seus desígneos, mas não tentar entendê -lo. Sentir sua força que nos imprime em desafios, em obstáculos que nos arranca suspiros de impotência. Paciência.Apenas deixar que o curso de nossa vida escoe, assim como o cotidiano instiga. Às vezes o som ensurdecedor de um trem que vem em nossa direção a toda velocidade. Às vezes apenas o rio que com suas águas profundas nos soa tão quieto e ao mesmo tempo perturbador.
 A máquina perfeita do corpo físico. Suas terminações nervosas. Como luzes que piscam dentro de ti ora se apagam dia a dia.”Cadê você Deus” para consertar o estrago. Cadê tua forma luminosa a nos acenar respostas em tuas formas luminosas de armadilhas.
 Aferindo sentimentos, destroçando fórmulas nos tornamos os magos dos dias, matando as charadas cotidianas de tarefas tão humanamente impossíveis.
 Como num dialeto, apenas seguimos sinais. E vamos surdo-mudos entoando silêncios, de frases que nunca se completarão.
 Latejam as entranhas, brotam  da face  lágrimas como se  ensurdecidos ocultássemos nossa dor. Chega. O ar terminou. Saímos das profundezas. Emergimos as solidões e o desamparo de alguns..Somos nós. Sozinhos a enfrentar uma nova respirada. Por nossos débeis pulmões, respirando o amor que sedimenta os tecidos da carne e nos fazem cócegas na alma para que esbocemos o menor dos sorrisos. Sim somos fortes e estamos vivos e juntos . Por enquanto. 


P.S.. Talvez a decisão chegue. Depende de ti.Respeito a tua vida e as tuas decisões. Só posso rogar à D'us em todas as minhas formas de entendimento.. que tu possas ser aliviado de um sofrimento ainda  maior.

2 comentários:

Lua Nua disse...

Andamos um pedacinho da estrada por dia e vivemos todos um dia de cada vez. Mas aonde essa estrada vai nos levar? Por quê? Pra quê? De onde viemos e para onde vamos? Quem somos e qual a finalidade de existirmos?

Essas perguntas sempre fiz, mas as respostas nunca foram dadas. Talvez no futuro a gente descubra que somos apenas partes de um todo. Você traz suas asas, eu levo meus pés e todos juntos seremos um organismo vivo e saudável.

Acredito que os amigos não se foram por causa da ELA, na verdade cada dia mais eu acredito que amigos não existem, não como eu imaginava que fossem. As pessoas não são mais fiés,não pensam mais socialmente e sim individualmente. Que bom que não somos amigas e sim irmães de alma.

O planeta está violento, as pessoas além de violentas, muito estranhas e assim vamos ficando cada dia mais sós...

Sintam-se abraçados e beijados todos os dias. Sintam as orações silenciosas que enviamos. Principalmente sintam-se reabastecidos de energia vinda de todo o amor que os une.

Amo vocês!
Beijos grandes com respeito e carinho nas palmas das suas mãos. Que Deus se faça e ilumine vocês.

clarice ge disse...

..então eu fico sem palavras, porque todas já foram ditas aqui, por ti e por Lua Nova.
um abraço cheinho de amor.